Carta de repúdio à ação racista da PM-ES no Shopping Vitória


Nós, do Levante Popular da Juventude do Espírito Santo, escrevemos essa carta em repúdio à ação da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo ocorrida no Shopping Vitória no sábado passado, dia 30 de novembro, último dia do mês da consciência negra. Somos contra a atitude racista e elitista da PM em submeter jovens negros, pobres, moradores de bairros periféricos ao constrangimento de serem obrigados a tirarem a camisa e sentarem no chão com a mão na cabeça na praça de alimentação, e de depois colocados para fora do Shopping em fila indiana, um com a mão sobre o ombro do jovem à frente, como nos presídios. A situação a que esses jovens foram expostos e a experiência que vivenciaram é uma vergonha para toda sociedade, marca do racismo explícito cometido pela PM dentro de um shopping, “lugar de branco”, onde negro quando não é trabalhador da limpeza é vigiado, filmado e seguido da entrada à saída.
Esse episódio mostra para os que estão longe das periferias como se dão as ações do braço armado do Estado com a juventude negra e pobre, que é constantemente humilhada e violada em todos os encontros que tem com essa representação da “segurança” pública e do “Estado Presente”.
Por todo Brasil se promove um contínuo genocídio da juventude negra, pobre e periférica por parte do Estado deixando nossos jovens sem opção na vida e sem perspectiva de futuro, não podendo se valerem de sua cultura, seus lazeres, de educação ou mesmo de qualidade de vida. Ociosos e marginalizados, esses jovens são perseguidos por se identificarem com a cultura da periferia, são vítimas de agressões policiais e abordagens vexatórias. A forma como se vestem, de boné aba reta e meia na canela, é o que o identifica como pobre e morador de periferia, sendo um alvo certeiro para uma abordagem constrangedora e violenta. Não podemos deixar de denunciar os assassinatos nos bairros periféricos, ainda mais se tratando do estado do Espírito Santo, o 2° do Brasil com maior número de jovens negros mortos por motivos violentos, ficando atrás apenas de Alagoas.
Somos a favor da desmilitarização do aparato opressor do Estado! A Polícia Militar é herança da ditadura que perseguia, torturava e assassinava a mando dos militares e da burguesia. A ditadura acabou, mas essas ações ainda acontecem, sem fiscalização ou punição para os opressores, sendo legitimada e manipulada pelos grandes meios de comunicação. As informações passadas pela mídia sobre o caso foram totalmente distorcidas para criminalizar os jovens negros e naturalizar o racismo cometido pela PM.
Deixar a ação da PM-ES “passar em branco” é naturalizar e vendar os olhos da sociedade diante de um problema estruturante da divisão de classes e desigualdade social do Brasil: o Racismo. Por isso que nós do Levante Popular da Juventude do Espírito Santo, junto a outras organizações e o Movimento Negro, vamos realizar um baile funk na entrada principal do Shopping Vitória no próximo dia sete de dezembro, com concentração marcada para as 15h. Será o “arrastão contra o racismo”, que tem o objetivo de denunciar a ação da PM e provocar as elites conservadoras do Estado nos afirmando enquanto lutadores do povo e da luta anti-racista!


 Contriua você também ajudando a divulgar o evento do baile funk no Facebook!


“Apanhei do meu pai, apanhei da vida,
apanhei da polícia, apanhei da mídia.
Quem bate se acha certo, quem apanha tá errado.
Mas nem sempre meu senhor, as coisas vão por esse lado!”
Mc Leonardo

Comentários

Postagens mais visitadas